Facebook

Blog

Empresário gaúcho aproveita a paixão pelo churrasco para escrever história de sucesso na gastronomia baiana

 

teste alternativo

 

Por: Redação Mercantil Rodrigues (Fotos: Eduardo Mafra)

 

Três mil quilômetros, aproximadamente, separam o município de Arroio do Meio, no Rio Grande do Sul, do estado da Bahia. Foi na pequena cidade na região Sul do Brasil, que possui por volta de 20 mil habitantes, que nasceu Nestor da Silva Gaspar, hoje com 50 anos, e há 26 morando no maior e mais populoso estado da região Nordeste.

“Gaspar”, como é conhecido, sempre foi um apaixonado pelo bom e velho churrasco, uma das principais tradições da cultura gaúcha. Deixando a terra natal no final da década de 90, logo que chegou à capital baiana começou a trabalhar com a paixão que veio da infância em uma das principais churrascarias de Salvador. Com veia empreendedora, decidiu sair do emprego antes de completar dois anos de empresa e decidiu abrir um bar chamado “Tchê”. O bar durou pouco tempo e logo se transformou na churrascaria Tchê Picanhas, inaugurada em fevereiro de 1995 no bairro Boca do Rio.

“Quando trabalhava como empregado em uma churrascaria, eu e alguns colegas saíamos meia-noite do trabalho e não havia nenhum lugar aberto para tomar uma cerveja e conversar. Então decidi abrir o barzinho, que funcionava das 17h até às 5h. Vendia fiado para muita gente e amanhecia o dia trabalhando. Fui evoluindo até chegar aonde cheguei”, relembra Gaspar.

Depois de vencer as dificuldades próprias do início do negócio, o empreendimento cresceu, e muito! Atualmente com dez estabelecimentos e mais dois sócios, o grupo que Gaspar gerencia tem três marcas: Tchê Picanhas, Baita Tchê e Cantina Montanari, e se aproxima de atingir o número de 500 colaboradores com carteira assinada. “No primeiro ano, com o bar, trabalhei sozinho. Em seguida contratei meu primeiro funcionário e logo depois uma funcionária. Lembro que quando contratei o primeiro funcionário fiquei com medo de não conseguir pagar o salário porque tudo ainda estava no começo. Mas depois, com a evolução do nosso trabalho, após 12 anos de atuação ultrapassamos a marca de 400 empregados com carteira assinada em todas as empresas do grupo”, afirma.

Tchê Picanhas

Com o slogan “Simplicidade e bom gosto”, a proposta do empresário ao abrir a churrascaria Tchê Picanhas foi trazer a tradição de sua terra natal para a região Nordeste do Brasil. A carne mais popular na tradição gaúcha é a costela de boi, temperada somente no sal grosso. Mas para conquistar a freguesia em terras baianas Gaspar teve que conhecer a cultura local e o paladar da região e se adaptar a eles. Além disso, várias outras opções de carnes passaram a ser oferecidas. Hoje, além da picanha, carro-chefe da churrascaria, as unidades do Tchê Picanhas oferecem uma variedade de opções de carnes, incluindo costela de boi, carne-de-sol, carneiro e alcatra, diversos pratos quentes como camarão alho e óleo, bacalhau à moda da casa, arroz de carreteiro, purê de aipim com carne-de-sol e feijão tropeiro e diferentes tipos de saladas, além de várias opções de bebidas e sobremesas.

“Apesar de o sal grosso ser predominante no churrasco gaúcho, adaptei o tempero para ‘de tudo um pouco’, mas o principal é o sal grosso. Quando cheguei aqui, não queria colocar coentro na comida, mas o pessoal queria. Hoje adoro coentro. O importante é se adaptar ao novo e preparar tudo da forma que o cliente gosta”, observa Gaspar, que sempre carrega por perto a cuia com um bom chimarrão à moda gaúcha, e de vez em quando usa trajes típicos da sua cultura, como a bombacha, o lenço e o chapéu. “O Tchê Picanhas carrega a tradição do Rio Grande do Sul e só tenho a agradecer ao povo baiano, que recebeu nosso conceito de braços abertos. Desde o início se viam várias pessoas jovens trabalhando, com produtos de alta qualidade e um atendimento muito especial, sempre dando o melhor para conquistar o cliente”, comenta.

Lauro de Freitas

A inauguração do Tchê Picanhas em Lauro de Freitas aconteceu em maio de 2003. A unidade, que comemorou o 15º aniversário neste ano, recebe uma média de 400 pessoas por dia, servindo aproximadamente 12 mil refeições ao mês, embora já tenha atingido a marca de 15 mil refeições em alguns meses.

“Aqui em Lauro de Freitas ainda não consegui deixar a churrascaria exatamente da forma ponto que eu desejo. A cidade está crescendo muito e pretendemos aumentar a estrutura como um todo”, afirma o empresário, que divide a rotina visitando todas as unidades que pertencem ao seu grupo de empresas. “O olho do dono tem que estar sempre cuidando. Quando não estou em uma unidade estou em outra, e isso acontece todos os dias. Gosto de ouvir o que o cliente está pensando sobre nosso serviço e sobre nossos colaboradores. Temos que cobrar quando é preciso, mas sempre que chegam elogios faço questão de elogiar a equipe”, comenta.  

Parceria de sucesso

A loja do Mercantil Rodrigues em Lauro de Freitas foi inaugurada em 2013. Desde então, as compras da unidade do Tchê Picanhas na cidade são feitas lá. As condições especiais para compras em atacado, as promoções constantes, os preços reduzidos e o atendimento são, de acordo com Gaspar, os principais motivos que o levam a optar por comprar vários itens para a churrascaria no Mercantil. “Até a abertura da loja em Lauro de Freitas, comprávamos em outra rede, mas desde então passamos a comprar no Mercantil. E não só para a empresa. Nas compras de casa também optamos pelo Mercantil porque além de tudo percebemos qualidade no atendimento com a dedicação de cada colaborador. Isso faz com que tenhamos uma parceria muito boa. Hoje mesmo já recebi os produtos em promoção e vamos buscar alguns itens de que precisamos”.

 

Galeria de imagens

 

Você vai gostar também

Powered by: MegaMidia Group - Todos os direitos reservados